Quem é aquela voz que nos fala ao pé do ouvido? Quantas vozes são? Quantas perspectivas sobre um mesmo assunto? Quantas maneiras de ver e ponderar sobre o mundo que nos rodeia? Assim vivemos o dia-a-dia, cheios de situações inevitáveis onde precisamos atuar, decidir e escolher.

Nessas situações, ainda que por poucos segundos, todos passamos por algo similar – um instante de pausa – então respiramos, refletimos, analisamos, contemplamos. Durante essas pausas (pra alguns, rápidas e curtas, pra outros, longas e demoradas) é como se organizássemos uma pequena reunião em equipe, com todos os nossos “Eus”: o eu-criança, o eu-adulto, o eu-amigo, o eu-profissional, o eu-sábio, o eu-furioso, etc…

De forma bem humorada e espirituosa, o GURULINO é um desenho sobre os encontros entre nós e nossos estados mentais, enquanto estamos tentando decidir sobre algo, ou chegar em alguma conclusão sobre certos assuntos, muitas vezes que não possuem resposta imediata ou simplesmente não tem solução.

Nosso personagem principal se chama Lino, um cara simples, comum e cotidiano. O que ele tem de especial mesmo é sua curiosidade e espanto com o mundo. Dentro da mente do Lino, muitas vozes lhe ajudam a ganhar outras perspectivas sobre o mundo, são eles: Guru, MestreCuca, BestaFera, Mada, e muitos outros. Conforme ele vai se questionando sobre a natureza das coisas, das pessoas e de si mesmo, esses avatares se comunicam com ele, como sussurros atrás da orelha, lhe dando conselhos, ou ajudando a refletir e decidir sobre algo.

A aventura começa quando Lino deixa de somente escutar essas vozes dentro dele e passa, sem querer, a materializar esses avatares, toda vez que uma situação nova e desafiante acontece. Assim, os personagens tomam forma e corpo no mundo e passam a atuar ao lado de Lino, como um grupo de amigos, com habilidades e poderes especiais que só a mente do Lino pode criar.

Os personagens do universo Gurulino podem ser encontrados em vários formatos. Os mais frequentes são:

  • nos quadrinhos: em publicações dominicais no Jornal Correio Braziliense.
  • na arte urbana: em murais e grafites de rua, por Brasília, pelo Brasil e mundo.